Canonização do advogado brasileiro Franz de Castro

Por Setor Imprensa - Comunicação | publicado em | CNBB

Após quase dois anos de trabalho, a diocese de São José dos Campos (SP) vai enviar para a Congregação para a Causa dos Santos, no Vaticano, a documentação levantada sobre Franz de Castro Holzwarth, cujo processo para investigação da fama de martírio, foi aberto em março de 2009.

A sessão de encerramento da fase diocesana acontece no dia 22 de dezembro, no seminário diocesano, em São José dos Campos, onde foi instalado o tribunal, com a participação de padre Paolo Lombardo, membro da Congregação para a Causa dos Santos e do postulador, Paolo Vilotta.

Natural de Barra do Piraí (RJ), Franz de Castro Holzwarth se mudou para Jacareí (SP), na década de 1960 para estudar Direito. Na mesma época conheceu a Associação de Proteção aos Condenados (Apac) e passa a trabalhar voluntariamente na evangelização dos detentos.

No dia 14 de fevereiro de 1981, uma rebelião na cadeia de Jacareí leva Mário Ottoboni, fundador da Apac, e o advogado Franz de Castro para participar das negociações de rendição dos detentos rebelados.  Franz troca de lugar com um refém para acompanhar os detentos na fuga. A fuga é frustrada por um tiroteio que culmina com a morte dos cinco fugitivos e de Franz de Castro.


Pesquisa



Veja Também