• Monsenhor Valdemiro Caran

    Presbítero Emérito da Arquidiocese de Campinas - Cônego Catedrático do Cabido Metropolitano

    Monsenhor Valdemiro Caran nasceu no dia 11 de fevereiro de 1924, em Limeira, SP, filho de Felipe Caran e Maria Curi Caran. Cursou o primário no Grupo Escolar Cel. Flaminio Ferreira, em Limeira, SP, de 1932 a 1936.Aos 13 anos, em 1937, foi levado pelo Cônego Miguel Andery, que era Pároco da Igreja Nossa Senhora das Dores, atual Catedral de Limeira, para o Seminário Diocesano Santa Maria, em Campinas, onde cursou o Ensino Médio nos anos de 1937 a 1941.Fez os estudos superiores no Seminário Central do Ipiranga, em São Paulo, de 1942 a 1948, e o complemento em Filosofia na Faculdade de Filosofia de Mogi das Cruzes, em 1970. Formou-se, ainda, em Direito pela Faculdade de Direito de São João da Boa Vista, no período de 1969 a 1973.Foi ordenado Presbítero no dia 08 de dezembro de 1948, na Catedral Metropolitana de Campinas, por Dom Paulo de Tarso Campos, juntamente com o Cônego Carlos Augusto Gomes Malho, falecido em 1995, e com o Padre Pedro Tomazini. Presidiu a primeira Missa no dia 12 de dezembro, na Igreja Nossa Senhora das Dores, em Limeira.Exerceu as seguintes funções na Arquidiocese de Campinas: nomeado em 24 de dezembro de 1948 como Vigário Cooperador da Catedral Metropolitana de Campinas, onde tomou posse em 13 de janeiro de 1949 e exerceu o cargo por três meses; em 24 de dezembro de 1948 foi nomeado Professor do Seminário Diocesano, iniciando seus trabalhos no dia 03 de março de 1949, onde permaneceu até 1960, lecionando as disciplinas de latim, francês, geografia, história do Brasil e apologética; Capelão do Aprendizado Doméstico Sant´Ana, de 1949 até 20 de fevereiro de 1950; nomeado em 04 de janeiro de 1950 como Vigário Auxiliar na Paróquia Nossa Senhora das Dores, no Cambuí, tomando posse em 31 de janeiro de 1950; nomeado por Dom Paulo de Tarso Campos como Chanceler do Bispado, em 01 de fevereiro de 1950, cargo que exerceu até 1960; Diretor Espiritual do Seminário Diocesano de Campinas, de 22 de fevereiro de 1951 até 1954; nomeado Assistente Eclesiástico da JOC em 1951, função que exerceu por três anos; Assistente Eclesiástico das Bandeirantes, em 1951, por dez anos; Professor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e da Faculdade de Direito da PUC-Campinas, de 1953 até 2011; em 25 de maio de 1955 foi o início da 1ª Equipe do Movimento de Equipes de Nossa Senhora, sendo o primeiro Assistente Eclesiástico; Assistente Eclesiástico da JUC, em 1956, por 4 anos; Capelão da Beneficência Portuguesa, de 1956 até 1960.Em 1960, foi nomeado por Dom Paulo de Tarso Campos como Cônego Catedrático do Cabido Metropolitano de Campinas; recebeu as insígnias no dia 06 de março de 1960, na Matriz Nossa Senhora do Carmo, no Cambuí, em Campinas.Foi Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição - Catedral Metropolitana de Campinas, de abril de 1961 até 1999.Depois, em 1961, Vigário Forâneo; Diretor Espiritual Arquidiocesano do Movimento de Cursilhos, em 1967; Membro do Conselho de Presbíteros, em 1968; Juiz do Tribunal Eclesiástico, de 1970 a 2013; Vigário Episcopal da Região Centro de Campinas, de 1970 a 1976; Membro da Comissão Disciplinar do Seminário Diocesano.No período de 03 de outubro de 1975 a 31 de julho de 1977, fez o Curso de Mestrado em Direito Canônico na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, Itália.Em 1980, fundou a Creche Santo Antônio, em Campinas; em 23 de setembro de 1981, criou o Museu de Arte Sacra do Santíssimo Sacramento da Catedral Metropolitana de Campinas; fez parte da Fundação da Sociedade Beneficente João Paulo II e da criação Comissão para a construção da Casa do Padre, em 10 de dezembro de 1990, juntamente com o Mons. Francisco de Assis Marques Almeida e Mons. Fernando de Godoy Moreira.No dia 31 de agosto de 1999, apresentou sua renúncia como Pároco da Catedral e em 08 de setembro de 1999 tornou-se Padre Emérito da Arquidiocese de Campinas.Foi nomeado Vigário Judicial Adjunto do Tribunal Eclesiástico de Campinas, em 22 de fevereiro de 2000; Assessor da Chancelaria Arquidiocesana, cuidando da organização da Cúria Metropolitana e colaborando na prestação dos serviços da Chancelaria, em 16 de março de 2000; e Assessor Eclesiástico do Grupo Executivo Regional Sul 1 Campinas, do Movimento de Cursilhos de Cristandade, em 30 de março de 2000.Por iniciativa do vereador Campos Filho, foi agraciado com a Medalha Arautos da Paz, em reunião solene da Câmara Municipal de Campinas realizada em 10 de agosto de 2010, no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa, Rua Onze de Agosto, 557, no Botafogo.Como Padre Emérito, auxiliou na Paróquia Santa Rita de Cássia e foi assistente eclesiástico do Santuário Nossa Senhora Desatadora dos Nós.Em 2013, já com a saúde debilitada, deixou as suas atividades e foi morar com suas irmãs.Mons. Valdemiro Caran faleceu às 12h50 do dia 30 de setembro de 2018, no Hospital da UNIMED Campinas, onde estava internado, tendo como causa “falência múltipla dos órgãos”. O velório foi realizado, como vontade expressa do próprio Mons. Caran, na Matriz Santa Rita de Cássia, em Campinas. No dia 1º de outubro, às 09h00, o Mons. José Eduardo Meschiatti, Administrador Diocesano, presidiu a Missa Exequial e, em seguida, o corpo foi trasladado para o Cemitério da Saudade, em Campinas, onde, às 11h00, foi sepultado no jazigo da família. 
  • Informações

Veja mais em Necrologia