Hospital PUC-Campinas completa 42 anos

Por Sandra | publicado em | Arquidiocese

Solenidade homenageia profissionais da linha de frente da pandemia.

O Hospital PUC-Campinas, completa, este ano, 42 anos de existência e funcionamento. Para marcar essa data, no dia 10 de setembro, amanhã, às 8h30, na Igreja Nossa Senhora da Esperança, do Campus 2 da PUC-Campinas, será realizada uma Missa em Ação de Graças, presidida pelo arcebispo Metropolitano de Campinas, Dom João Inácio Müller. “Não é comum comemorarmos datas que não são fechadas, como, por exemplo, 30, 35 ou 40 anos, porém, o comprometimento e profissionalismo dos nossos colaboradores perante a pandemia merece o registro do nosso reconhecimento mais uma vez”, destaca o superintendente do Hospital PUC-Campinas, Antônio Celso de Moraes.

Na sequência, terá a palestra Ética, Pessoa, Empresa e Sociedade com o professor doutor Mário Sérgio Cortella. Na ocasião, a solenidade de abertura contará com a presença do prefeito de Campinas, Dr. Dário Saadi e do reitor da PUC-Campinas, Prof. Dr. Germano Rigacci Júnior.

O Hospital PUC-Campinas homenageará com um vídeo comemorativo dos profissionais, bem como será entregue uma placa em agradecimento, inclusive neste momento de pandemia, a representantes de cada área: corpo clínico, equipes de enfermagem e multiprofissional, administrativo e apoio. A homenagem seguirá os protocolos sanitários em razão da pandemia Covid-19 e será transmitida pelo YouTube do Hospital, por meio de link fechado aos colaboradores. “Desde o início da pandemia Covid-19, o Hospital PUC-Campinas já contribuiu com a recuperação de mais de 9 mil vidas”, ressalta Moraes.

Os quase 3 mil colaboradores ganharão uma lembrança em agradecimento.

Saiba mais:

O Hospital PUC-Campinas realiza aproximadamente 2 milhões de atendimentos por ano. Possui, atualmente, 354 leitos, sendo 225 destinados ao atendimento de usuários do convênio do Sistema Único de Saúde (SUS) (dados agosto/2021), com capacidade instalada para 400 leitos. Além de integrar as Faculdades do Centro de Ciências da Vida (CCV) da PUC-Campinas. É mantido pela Sociedade Campineira de Educação e Instrução (SCEI), com a finalidade de servir como Hospital Universitário da PUC-Campinas, na realização das atividades docentes e assistenciais, inerente aos seus objetivos institucionais.

As certificações concedidas ao Hospital, são a maior prova de que a qualidade permeia os processos e encontra o seu sentido na percepção do paciente:

• Hospital de ensino certificado pelo MEC desde 2004;
• Laboratório de análises Clínicas certificado pelo PALC desde 2007;
• Selo Bronze na prevenção de fraturas secundárias por osteoporose em 2018;
• Prêmio Hospital Amigo do meio Ambiente concedido pela Secretaria de Segurança do Estado;
• Projeto Apice on sobre Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia;
• Acreditação Hospitalar da Organização Nacional de Acreditação (ONA): Nível 1 da em 2010, nível 2 em 2014 e em 2018, ‘Acreditado com Excelência’ (Nível 3)
• Selo de Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica para convênios privados e atendimento particular em 2021.

Breve histórico:

Com a implantação, em 1976, da Faculdade de Medicina da PUC-Campinas, surgiu a necessidade e o desejo da construção de um Hospital-Escola para a formação de médicos aptos e capazes de desenvolverem seu trabalho, principalmente nas pequenas comunidades desprovidas de recursos.

O médico Celso Pierro adquiriu, em 1973, uma área com 400 mil metros quadrados na Avenida John Boyd Dunlop, nas proximidades da Rodovia Anhanguera, e iniciou a construção da ‘Cidade da Saúde’, um hospital de pequenas disposições, construído numa área de 5 mil metros quadrados.

Com o falecimento do médico, em 1977, sua viúva, não teve condições de dar prosseguimento ao ideal que o animava e incentivava. Dessa forma, ela e o seu sobrinho, também médico, doaram o terreno construído na ‘Cidade da Saúde’ à PUC-Campinas, a qual assumiu a dívida da construção e comprou a grande área circundante, onde passaram a funcionar as Faculdades de Medicina, Enfermagem e Odontologia.

Os filhos do médico Celso Pierro pediram para que fosse dado o nome CELSO PIERRO ao Hospital, o que foi concedido pela Universidade. Na época, os assessores da reitoria sugeriram, também, que se construísse no local de trabalho em que falecera o ilustre médico, um busto em sua homenagem (Esse busto está localizado no jardim, em frente à entrada do Hospital).

Após a ‘compra’ do terreno, iniciou-se imediatamente a ampliação da construção já existente, que chegou a 25 mil metros quadrados, com todos os requisitos necessários para o perfeito funcionamento de um hospital. Hoje, sua área construída chega a 28 mil metros quadrados.

O Hospital e Maternidade Celso Pierro, na época, começou a funcionar, em 1978, com 150 leitos, ampliando-se gradativamente, de acordo com suas necessidades e atingindo o total de 353 leitos, sendo 243 destinados ao convênio do Sistema Único de Saúde (SUS), com capacidade instalada para 400 leitos. E em 1979, foi realizada a primeira cirurgia.

Assim, esse Hospital-Escola além de integrar as 10 Faculdades do Centro de Ciências da Vida (CCV) da PUC-Campinas, com o objetivo de melhor formação do aluno, tomou também a característica de grande pólo de atendimento, sendo referência regional em diversas áreas. Teve sua evolução de uma clínica para um Hospital de atendimento de alta complexidade, sendo referência da região oeste que possui cerca de 400 mil habitantes. O Hospital e Maternidade Celso Pierro foi criado em uma região onde ele deveria existir, para atender a população SUS dependente.

No dia 21 de dezembro de 2017, sua nova marca foi apresentada. O Hospital e Maternidade Celso Pierro passou a se chamar Hospital PUC-Campinas, mantendo em seu logo “Celso Pierro’ e desde então quer se apresentar de forma mais clara como um polo de referência em saúde no estado e no Brasil e com isso aumentar a atratividade de pacientes de planos de saúde privados e particulares.


Pesquisa



Veja Também