Paróquia Nossa Senhora do Carmo – Basílica


Criada em 08 de maio de 1870
Pároco: Cônego Jeronymo Antonio Furian
Vigário Paroquial: Padre Adilson José Ribeiro

Praça Bento Quirino, s/n - Centro
13010-250
- Campinas, SP

(19) 3231.2327 ou 3231.7032

basilicadocarmo@yahoo.com.br


http://www.basilicadocarmocampinas.org.br/
Terça a sexta-feira, às 18h30
Quarta-feira, às 15h00 e às 18h30
1ª sexta-feira do mês, às 08h00 e às 18h30
Sábado, às 08h00 e às 17h00
Domingo, às 07h30 (Rádio Central, AM 870 kHz), às 10h00 e às 18h30
Atendimento da Secretaria:
Segunda-feira, das 13h30 às 17h00
Terça a sábado, das 07h00 às 18h30
Domingo, das 06h30 às 11h30 e das 17h30 às 19h00

Atendimento do Padre:
Quarta e quinta-feira, das 15h00 às 17h00
Confissões: Terça, quinta e sexta-feira, das 08h30 às 11h00 e das 14h30 às 17h00
Quarta-feira, das 08h30 às 11h00

A Paróquia de Nossa Senhora do Carmo está situada na parte mais antiga da cidade de Campinas, a Praça Bento Quirino, berço natal da cidade. A Matriz do Carmo está no exato local onde se ergueu a primeira igreja Matriz, inaugurada em 1781, logo após a fundação de Campinas em 14 de julho de 1774, quando se celebrou a primeira missa, em capela provisória no local onde hoje está o monumento–túmulo de Carlos Gomes.

Era então a Matriz da Conceição na qual foi sepultado o fundador da cidade Francisco Barreto Leme em 1782. Em torno desta Matriz e da Praça Bento Quirino, desenvolveu-se a vida da cidade até metade do século XIX. Decidiu-se mudar a sede da paróquia para outro lugar o que foi feito com a construção da “Matriz Nova” (hoje catedral de Nossa Senhora da Conceição).

A “Matriz Velha”, porém continuou como paróquia, agora paróquia de Santa Cruz, criada em 08 de maio de 1870. No ano seguinte foi dada como padroeira da paróquia a pedido do pároco e da população, Nossa Senhora do Carmo. Após a reconstrução da matriz no início do século passado, a paróquia será oficializada com o nome da padroeira.

A paróquia do Carmo sempre foi atuante na história da cidade em vários aspectos. Foi no espaço desta paróquia que se fundou a PUC-Campinas, a congregação das Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, a Santa Casa de Misericórdia entre outras iniciativas. Dentre seus párocos saíram vários bispos, inclusive o primeiro bispo de Campinas D. Nery.

Em 06 de novembro de 1974, pelo breve apostólico Aedde Illa do papa Paulo VI,  a matriz do Carmo recebeu o título de Basílica, cuja instalação se deu no dia 22 de junho de 1975. Justo reconhecimento do valor histórico, religioso e artístico deste templo e da importância da paróquia que nele tem sua sede.

Em assembleia paroquial foram definidas três prioridades a partir do 6PPO da Arquidiocese: Formação, Acolhimento e Comunicação. A atividade específica mais característica desenvolvida na paróquia é o plantão de confissões durante toda a semana e o serviço da “Escuta Cristã”. A paróquia não conta com comunidades, porém estão em seu território a Capela da Santa Casa e o Templo Votivo.