Paróquia Santo Antônio de Sant´Anna Galvão


Criada em 14 de março de 2010
Pároco: Padre Luiz Carlos de Araújo


Av. Angelino Gregório, 46 - Jardim América - Barão Geraldo
13084-415
- Campinas, SP

(19) 3289.2249 e 3381.2249

paroquiafreigalvao@hotmail.com


Quarta-feira, às 19h30
Sábado, às 18h00
Domingo, às 07h00
Atendimento da Secretaria:
Terça a sexta-feira, das 09h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h00
Sábado, das 09h00 às 12h00

Atendimento do Padre:
Quarta-feira, das 14h30 às 17h00, no Centro Médico de Campinas
Quinta-feira, das 09h30 às 11h30 e das 14h30 às 16h30

O crescimento populacional de Barão Geraldo tem seu processo acentuado no início dos anos 2.000, quando surgem vários condomínios expandindo áreas antes abandonadas ou rurais, e com o surgimento de muitos imóveis para locação, destinados, principalmente, para atender à demanda de estudantes vindos da área central de Campinas e de outras regiões para estudar nas escolas e universidades. Esta população temporária, que em muitos casos acaba se instalando em definitivo no distrito, incita o surgimento de um comércio com nova particularidade, destinado a atender esta nova clientela estudantil e suas características financeira e etária, implementando-se, neste novo cenário, bares, restaurantes, teatros, grupos culturais e religiosos diversos, criando-se uma nova dinâmica na vida diurna e noturna de Barão Geraldo.

Calcula-se que hoje, em seus 70 bairros, incluindo chácaras, fazendas e condomínios, a população fixa do distrito está em torno de 70.000 habitantes além de cerca de 20.000 pessoas pertencentes a uma população “flutuante” que, diariamente, passam por aqui para trabalhar e estudar.

Nesta nova realidade social-econômica e político-cultural, consolida-se a necessidade e a efetivação da divisão da Paróquia de Santa Isabel, criando-se a Paróquia de Santo Antonio de Sant’Ana Galvão por decreto assinado pelo Arcebispo de Campinas, Dom Bruno Gamberini, no dia 4 de novembro de 2009. Dom Bruno presidiu a celebração eucarística junto com padres, parentes do santo brasileiro, autoridades e muitos fieis, no domingo de 14 de março de 2010, oficializando esta data como comemorativa à implantação da nova Paróquia.

Diante dos novos desafios, a Paróquia já nasce com dez comunidades, abrangendo uma imensa área territorial de Barão Geraldo, inspirada pelo exemplo de vida e santidade de seu padroeiro, Frei Galvão, o santo brasileiro que foi canonizado pelo Papa Bento XVI em 11 de maio de 2007, conhecido como “o homem da Paz e da Caridade”. É no cenário deste distrito privilegiado de Campinas sob vários aspectos como qualidade de vida, integração e organização entre os moradores, centro de referência cultural, e vocação para o desenvolvimento, entre outros, que estão inseridas as comunidades da paróquia Frei Galvão.

Nas áreas predominantemente das regiões periféricas, porém não em menor importância para a constituição do distrito, encontramos diferenças e contrastes sob diversos aspectos cujas matizes político-sócio-culturais se destacam.

A paróquia Frei Galvão abrange desde vilarejos sem infra-estrutura básica até condomínios de alto padrão; gente humilde e sem escolaridade à cientistas e doutores das mais variadas áreas do conhecimento; famílias de alto poder aquisitivo à famílias vivendo na linha da miséria; e como em quase todo lugar, gente descrente e desesperançosa à gente de muita fé e disposição para trabalhar em prol do Reino de Deus.

Em pouco tempo de existência, a nova paróquia que vem sendo administrada e conduzida pelo Padre Luiz Carlos Araújo desde o início de sua criação, demonstra grande força de organização e busca acolher todos aqueles que chegam para fazer parte de sua história, como é originário de sua característica, o que a sintoniza com os objetivos do 7° Plano de Pastoral Orgânica da Arquidiocese de Campinas.

Frei Galvão acolhe Incluindo e valorizando a pessoa humana, imagem e semelhança do próprio Deus, sem distinção em suas infinitas particularidades, assim como é a identidade de seus paroquianos: de classes sociais, culturas, valores e tradições próprias, vindos de lugares, situações diversas, com sonhos e desejos tão distintos e ao mesmo tempo tão comuns que nos fazem verdadeiramente irmãos em Cristo, e nos aproximam de tal forma que somos convidados a participar desta festa preparada por Deus, onde Jesus se doa a nós e por nós se faz alimento no pão que dá a vida em sua plenitude.

Desta terra nascida das histórias e das mãos de nobres e escravos, lavradores e imigrantes vindos de lugares distantes assim como os estudantes e trabalhadores urbanos que depois chegaram e que vêm se encontrar nesta região abençoada constituir um povoado singular, Frei Galvão chama a todos os baronenses a disporem-se aos trabalhos em suas comunidades e pastorais a serviço do bem maior que nosso Deus nos reservou: a vida fraterna no Amor.