• Sobre

    Padroeiro : São Paulo Chong Hasang

  • Informações

  • Horários de missas

    Terça-feira, às 19h30 - Quarta e sexta-feira, às 09h30 - 1ª quinta-feira do mês, às 19h30 - Domingo, às 10h00

  • Atendimento da Secretaria

    Sra. Modesta (19) 98113.3499 e 3251.5280

  • Atendimento do Padre

    Padre Jedong (João) Kim - Administrador Paroquial

  • Envie uma mensagem para Paróquia Pessoal Coreana São Jung Hasang

    Esta mensagem será enviada para paroquia_cb@yahoo.co.kr

    *
    *
    *
    *
  • Histórico

    coreia3A comunidade coreana de Campinas (SP) inaugurou, no domingo, 27 de fevereiro de 2011, com uma celebração com aproximadamente 300 pessoas, a primeira paróquia pessoal voltada para os católicos nascidos nas Coreias do Norte e do Sul e seus descendentes presentes naquele município.
    O templo recebeu o nome de paróquia São Jung Paulo (São Paulo Chong Hasang) e fica no Largo Santa Cruz, no Cambuí, no território da paróquia Nossa Senhora das Dores, em Campinas. A celebração foi presidida pelo arcebispo de Campinas, dom Bruno Gamberini, e contou com a presença de membros de comunidades coreanas de São Paulo e de outras cidades da região. coreia1A Comunidade Coreana em Campinas conta com cerca de cem pessoas. A paróquia “coreana” é a segunda no Brasil. A primeira está em São Paulo. O presidente da comunidade coreana de Campinas, Jorge Chung, disse que essa é uma oportunidade para que os coreanos católicos pratiquem a religião. “Tem muitos coreanos que não entendem muito bem o português. E é muito importante que todos estejam próximos da fé”, explicou. Chung afirmou, ainda, que a comunidade pretende colocar em prática trabalhos solidários no município. No encerramento da celebração, dom Bruno destacou que, a partir de agora, é necessário fazer um trabalho intenso para que a Comunidade Católica Coreana ganhe força e cresça. “Essa é a menor paróquia de Campinas. Tem paróquia que possui 60 mil pessoas e essa começa com 23 famílias. É necessário um trabalho muito grande porque temos muito mais pessoas que vieram para Campinas e têm suas raízes na Coreia”, afirmou.