Manifestações pela tragédia ocorrida na Catedral

Por Barbara Beraquet | publicado em | Arquidiocese

Nos últimos dias, diversas manifestações sobre o trágico atentado perpetrado na Catedral Metropolitana, que terminou com a morte de seis pessoas, deixando três feridas. Reproduzimos algumas aqui.

Cardeal Versaldi, Prefeito da Sagrada Congregação para a Educação Católica da Santa Sé

Monsenhor Pepe, secretário do Cardeal Giuseppe Versaldi, encaminhou a mensagem: “Carissimo rettore, il cardinale Versaldi ed io esprimiamo profondo dolore unitamente a preghiera per la strage avvenuta nella cattedrale di campinas. La preghiamo di voler comunicare la nostra vicinanza nella preghiera a Mons. Meschiatti”.

“Caríssimo Reitor, o Cardeal Versaldi e eu expressamos profunda tristeza e oração pelo massacre na Catedral de Campinas. Pedimos que comuniquem nossa proximidade em oração ao Monsenhor Meschiatti”.

Vaticano

O Secretário de Estado de Sua Santidade, Cardeal Pietro Parolin, manifestou a consternação do Papa em telegrama.

REVERENDÍSSIMO ADMINISTRADOR DIOCESANO

ARQUIDIOCESE DE CAMPINAS

PROFUNDAMENTE CONSTERNADO PELO DRAMÁTICO ATENTADO REALIZADO DURANTE A CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA NA CATEDRAL DA ARQUIDIOCESE DE CAMPINAS, O PAPA FRANCISCO CONFIA À MISERICÓRDIA DE DEUS AS VÍTIMAS E ASSEGURA A SUA SOLIDARIEDADE E CONFORTO ESPIRITUAL ÀS FAMÍLIAS QUE PERDERAM SEUS ENTES QUERIDOS E TODA A COMUNIDADE ARQUIDIOCESANA COM VOTOS DE PRONTA RECUPERAÇÃO DOS FERIDOS. O SANTO PADRE CONVIDA A TODOS, DIANTE DESTE MOMENTO DE DOR, A ENCONTRAR CONFORTO E FORÇAS EM JESUS RESSUSCITADO, PEDINDO A DEUS PARA QUE A ESPERANÇA NÃO ESMOREÇA NESTA HORA DE PROVA E FAÇA PREVALECER O PERDÃO E O AMOR SOBRE O ÓDIO E A VINGANÇA. PARA CONFIRMAR ESSES VOTOS O PAPA FRANCISCO CONCEDE A TODOS UMA CONFORTADORA BÊNÇÃO APOSTÓLICA.

CARDEAL PIETRO PAROLIN

SECRETÁRIO DE ESTADO DE SUA SANTIDADE

 

Conselho Episcopal Regional Sul 2

Curitiba, 12 de dezembro de 2018

 

NOTA DE SOLIDARIEDADE

“O Senhor dará força a seu povo, o Senhor abençoará seu povo com a paz”. (Sl 29,11)

O Regional Sul 2 da CNBB presta sua solidariedade à Arquidiocese de Campinas (SP),

diante do ato violento ocorrido aos fiéis na Catedral Metropolitana, na tarde dessa terça-

feira, 11 de dezembro de 2018.

Em comunhão com toda a Igreja, nós, bispos do Paraná, queremos nos unir à dor e ao

sofrimento dos familiares das vítimas e também a todos que presenciaram esse fato

lamentável. Asseguramos nossas orações e pedimos que o Deus da Vida console o

coração de todos. Rezamos também pela Arquidiocese de Campinas (SP), pedindo forças,

esperança e a coragem para permanecer em Cristo, que é o Príncipe da Paz, mesmo após

 

Pe. Valdecir Badzinski Secretário Executivo da CNBB Regional Sul 2

Dom Amilton Manoel da Silva Bispo Auxiliar de Curitiba e Secretário da CNBB Regional Sul 2

Dom Geremias Steinmetz

Dom Mauro Aparecido dos Santos Arcebispo de Londrina e

Arcebispo de Cascavel e Vice-Presidente do Regional Sul 2

Presidente da CNBB Regional Sul 2

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL

Conselho Episcopal Regional Sul 2

 

Diocese de Petrópolis (RJ)

Dom Gregório Paixão, o Clero e o Povo de Deus da Diocese de Petrópolis manifestaram-se como reproduzido a seguir:

Estimado Pe. José Eduardo,

Eu, Dom Gregório Paixão, o Clero e o Povo de Deus da Diocese de Petrópolis (RJ), lamentamos a tragédia ocorrida na Arquidiocese de Campinas, quando um homem entrou na Catedral Metropolitana e atirou, matando quatro pessoas. Manifestamos nossa solidariedade a todos os irmãos campineiros, especialmente às famílias que viram ceifados os seus entes queridos.

Toda forma de violência é inaceitável, ainda mais quando atinge pessoas inocentes. Nós, cristãos do Estado do Rio de Janeiro, conhecemos bem essa realidade e buscamos superá-la, pelo desejo de que todos vivamos numa sociedade justa, pacífica e fraterna.

O ocorrido em Campinas não é um fato isolado e torna visível o que muitos não querem enxergar: a vida, dom sublime doado por Deus, está sendo tratada com banalidade, ao tempo que estamos cercados por pessoas desequilibradas. A tragédia de Campinas atinge a todos os brasileiros, pois somos todos irmãos.

Aguardamos – há décadas – por ações efetivas por parte das autoridades, que visem superar a violência. Nesse quesito, a palavra dita por Jesus a Pedro é esclarecedora: “Guarda a tua espada!” (Jo 18,11). Lembramos que Jesus anunciou o Evangelho numa lógica de amor e de justiça, que é semente da paz.

Defendemos a vida e, por meio de atitudes pacificas, continuaremos lutando pela vida humana, da sua concepção ao seu fim natural.

O Senhor da paz esteja com todos.

Dom Gregório Paixão, OSB

Bispo de Petrópolis

 

Igreja Luterana

 

Nota do CNBL

O Conselho de Leigos exprimiu sua solidariedade.

Comise Regional Sul II

Arquidiocese de Mariana

Outras manifestações

O Prefeito Jonas Donizete (PSB) esteve na Cúria Metropolitana, no dia 12, onde se encontrou com Mons. José Eduardo Meschiatti, Administrador Diocesano, para prestar sua solidariedade em virtude do ataque ocorrido na Catedral, ontem. Ele decretou luto oficial de três dias em razão da tragédia.

O Presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro manifestou-se em sua página na rede social: “Estamos acompanhando a apuração das autoridades sobre o crime bárbaro cometido hoje na Catedral Metropolitana de Campinas, em São Paulo. Nossos votos de solidariedade às vítimas dessa tragédia e aos familiares”.

O presidente da República, Michel Temer, manifestou-se em sua conta do Twitter: “Profundamente abalado pela notícia desse crime cometido dentro da Catedral de Campinas, apresento minhas condolências aos familiares das vítimas. E rezo para que os feridos tenham rápida recuperação”.

Padre Zezinho também propôs uma reflexão: “Não foi a primeira vez e não será a última que alguém morre enquanto orava. Morre-se porque a água invadiu, o teto caiu, o terremoto abalou e alguém surtou.

A Bíblia narra passagens de sacerdotes que morreram durante o culto. Fiéis já morreram enquanto pediam forças para suportar as torturas.

Quanto ao infeliz assassino que matou anciãos que oravam, oremos por ele. Só Deus sabe o estado mental dele .

Cristão não odeia. Pede misericórdia, até porque sabe que as vítimas irão para o céu ! O que não sabemos é se Judas teve tempo de pedir perdão a Jesus.

Se pediu, não podemos dizer que ele está no inferno ! A misericórdia de Deus é inesgotável. Mas o sujeito tem que fazer a sua parte, a menos que tenha enlouquecido!”.


Pesquisa



Veja Também

Videos