Observatório PUC-Campinas vai monitorar RMC

Por Setor Imprensa - Comunicação | publicado em | Arquidiocese

A Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) apresenta oficialmente ao público o Observatório PUC-Campinas, Projeto de Extensão universitária que vai monitorar dados socioeconômicos da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

O evento será no dia 12 de junho, terça-feira, às 9h30, no auditório Dom Gilberto Pereira Lopes, Campus I, com a presença do Arcebispo Dom Airton José dos Santos e do Reitor da PUC-Campinas, Prof. Dr. Germano Rigacci Júnior.

Concebido como Projeto da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários, o Observatório da PUC-Campinas objetiva definir parâmetros socioeconômicos relevantes da RMC, selecionar indicadores, recolher, processar, analisar e sistematizar dados e divulgar as informações resultantes, que poderão ser usadas por diversos setores da sociedade e para diferentes finalidades, como orientação de políticas públicas, iniciativas e empreendimentos econômicos e ações sociais, bem como estimular o debate, orientar a opinião pública, promover a postura crítica cidadã, permitindo a compreensão de cenários, tomada de decisões e desenvolvimento de programas em toda a Região.

A partir da coleta e análise de dados, o Observatório vai emitir boletins sistemáticos, permitindo, também, a construção de um banco de dados cumulativos, reveladores do perfil socioeconômico da RMC.

CONHECIMENTO UNIVERSITÁRIO GERANDO INFORMAÇÕES PARA A SOCIEDADE

 

O Observatório da PUC-Campinas resulta dos projetos de extensão de quatro professores doutores da Faculdade de Ciências Econômicas, que vão atuar na captação e análise dos dados, bem como gerenciar os meios e as formas de divulgar essas informações, em especial a publicação sistemática de boletins. O projeto inclui, também, a participação de alunos extensionistas, orientados por esses professores, e parcerias com entidades diversas, com destaque para a Agência Metropolitana de Campinas, Agemcamp.

Para conduzir esse trabalho, os agentes envolvidos contam com o potencial de conhecimento próprio do meio universitário, bem como com recursos físicos e humanos que permitem o desenvolvimento sistematizado de pesquisa e análise. Dessa forma, todo o processo é orientado cientificamente, oferecendo, como resultado, imagens muito claras e reveladoras do objeto estudado, no caso, aspectos do perfil socioeconômico da RMC.

De acordo com os professores responsáveis pelo Projeto, sua validade está, em primeiro lugar, na confiabilidade dos resultados apresentados, enquadrados no rigor científico e também na forma de apresentação desses dados, cuja organização e sistematização, próprias da atividade acadêmica, ampliam a compreensão e, consequentemente, o uso para as mais diversas atividades, sejam elas econômicas, sociais ou administrativas, que podem implicar diretamente o desenvolvimento da Região. Desse modo, atende integralmente às propostas da Extensão, que definem meios e formas da Universidade relacionar-se positivamente com a comunidade, produzindo e disseminando conhecimento em favor do bem comum.

No caso da PUC-Campinas, toda atividade de Extensão é orientada pelo perfil confessional católico da Instituição, compromissada com a valorização do ser humano e o desenvolvimento da sociedade.

O Observatório da PUC-Campinas contará com as análises dos professores doutores Cristiano Monteiro da Silva, Eliane Navarro Rosandiski, Izaias de Carvalho Borges e Paulo Ricardo da Silva Oliveira.

Paulo R. Oliveira vai coletar, sistematizar, analisar e divulgar informações relativas à produção industrial e agropecuária e a inserção internacional da RMC, “que possam se materializar como instrumento de formação de opinião da população e das principais lideranças do setor público e privado dessa Região”.

Cristiano Monteiro da Silva vai cuidar da coleta e organização de dados, estruturação de indicadores, análise e avaliação de questões voltadas ao subsídio das Políticas Públicas da RMC nos campos do Desenvolvimento Social, Educação e Saúde. “Isso implica monitorar os aspectos constituintes do desenvolvimento social na Região, em específico a avaliação dos investimentos públicos e privados, por conta do papel que tais decisões de gastos assumem na dinâmica econômica regional, mais a observação dos indicadores sociais, dando destaque aos temas da condição de vida, da educação e da saúde, para se ter uma forma de síntese do bem-estar social na sobredita localidade”.

Eliane Navarro está comprometida com a busca de informações relativas ao emprego, renda, produção e investimento que serão devolvidas para a sociedade. “Em decorrência dessa socialização de informações, a sociedade vai compreender melhor seus problemas e ganhará mais autonomia para avaliar a construção das políticas públicas circunscritas às demandas por ela estabelecidas”.

Izaias Borges vai atuar com indicadores relativos à inovação e sustentabilidade no âmbito da RMC.

RELEVÂNCIA ACADÊMICA E IMPORTÂNCIA SOCIAL

 

Segundo Germano Rigacci Júnior, Reitor da PUC-Campinas, “o Observatório tem relevância acadêmica, porque localiza, coleta e sistematiza dados socioeconômicos da Região Metropolitana de Campinas, transforma em conteúdo disciplinar os resultados da pesquisa e reparte conhecimento com a comunidade, contemplando, assim, as três atividades-fim da Universidade: a pesquisa, o ensino e a extensão”.

“Além disso”, explica o Reitor, “o Projeto atua em favor do desenvolvimento regional, constituindo indicadores para nortear planos e programas, tanto quanto séries históricas, para observar, corrigir ou reforçar tendências que ajudem a comunidade a equacionar problemas e desenvolver soluções”, e completa: “essa importância acadêmica, bem como a relevância social, refletem a identidade cristã e comunitária da PUC-Campinas, que estimula seu envolvimento participativo, crescente e contínuo com a comunidade”.   

BOLETIM-SÍNTESE SERÁ DISTRIBUÍDO NA APRESENTAÇÃO DO OBSERVATÓRIO

 

Na cerimônia de apresentação, em 12 de junho, será distribuída uma edição-síntese do boletim informativo do Observatório, com resultados dos primeiros estudos do Centro de Economia e Administração (CEA), que abriga a Faculdade de Ciências Econômicas, mapeando a realidade socioeconômica da RMC, em quatro eixos: Atividade Econômica/Comércio Internacional; Emprego/Renda; Sustentabilidade/Desafios do Milênio; Indicadores Sociais.

A síntese oferece um panorama da realidade socioeconômica da RMC, em três níveis de dados, que: 1) situam a Região no Estado de São Paulo; 2) especificam suas características mais distintivas; e 3) mostram a heterogeneidade dos municípios que compõem a RMC, enumerando características que marcam a identidade da RMC, mostrando potencialidades e desafios.


Pesquisa



Veja Também