A Semana do Amor Maior

Por Barbara Beraquet | publicado em | Acesse nossos artigos

Por Pe. Paulo Emiliano  – Paróquia São Francisco de Assis – Indaiatuba.SP

E-mail : saofranciscoindaia@arquidiocesecampinas.com

A semana que antecede a Páscoa, para os católicos, é denominada Semana Santa, devido à memória que se faz dos últimos dias da vida terrena do Cristo, Bom Pastor. Ele é a expressão máxima do amor de um Deus que não se esquivou em levar até o fim as dores e os sofrimentos da humanidade, culminando com a vitória da vida sobre a morte (cf. Fl 2,6-11).

Amor que se faz  entrega, que perdoa, que se faz serviço e que faz brotar a vida mesmo quando a morte ousa teimar em ser mais. Pelo sacrifício de Jesus, o amor se torna a última palavra para todas as coisas. Mesmo diante das ameaças contra vidas inocentes dos tiroteios, no descaso de fiscalizações de construções irregulares que ceifam vidas prematuras, na ilusão de que as armas irão salvar e proteger, Páscoa é sinônimo  de que o bem vence o mal e de que o respeito para com a vida sempre prevalece. A arma do Cordeiro é a cruz, o escudo é o amor-serviço que faz novas todas as coisas e faz enxergar os sinais pascais que se irrompem numa grande luz a iluminar o que já se perdeu, mas que se pode recuperar (Sl 34,1s; Sl 139,8).

O símbolo dos ovos, da gastronomia proposta dentro de um tempo de jejum e abstinência não deve tirar a oportunidade de revermos as atitudes em âmbito eclesial, pessoal, familiar e comunitário para não perdermos o entusiasmo da mensagem do Deus-Amor que a todos quer abraçar, livremente, sem pressão. A força do amor revela a força do bem que existe em cada ser humano, capaz de recomeçar. Páscoa é a festa das virtudes; festa da doçura da passagem da escravidão à liberdade, da morte para a sempre eterna vida (cf. Ex 12, 1-8.11-14; Jo 20, 1- 9).

Na energia da vida e da luz que da Páscoa emanam, pode-se vislumbrar o que de Deus se experimenta e repartir com os que caminham na expressiva condição de pessoas que aprendem sempre, que se unem pelas causas que geram respeito, solidariedade e tolerância através de politicas públicas sérias e eficazes  e de uma maior consciência de que ninguém precisa isolar-se e julgar-se melhor, pois a ressurreição  e a salvação incluem todos que  aderem à proposta do Crucificado-Ressuscitado.

Que esta semana seja de reflexão e de lembrança de um amor que sempre propõe retomada. Testemunhamos a ternura de Deus, que se manifestou recentemente no ato do Papa Francisco ao beijar os pés dos líderes do Sudão do Sul que passaram pelo Vaticano e foram por ele exortados a trabalhar pela paz e pela concórdia em seus países. Gotas de paz e de amor valem muito mais do que gotas de chocolate, pois perduram e não derretem, podendo ser por todos saboreadas. Boa Semana Santa! Feliz Páscoa!

 


Pesquisa



Veja Também

Videos