Vida e obra de Irmã Laurette Vachon

Por Barbara Beraquet | publicado em | Arquidiocese

Foi com enorme tristeza que recebemos a notícia do falecimento da Irmã Laurette Vachon. Embora soubéssemos que ela estava com seríssimos problemas de saúde, a morte das pessoas que nos são queridas trazem uma profunda sensação de perda, mesmo com a certeza de que agora estão na glória nos céus.
Irmã Laurette faleceu na segunda-feira, dia 04 de março, em Quebec, no Canadá, na Casa Provincial de Sainte-Anne-des-Monts, das Irmãs de São Paulo de Chartres. O funeral está sendo realizado na Capela da Casa de Nossa Senhora da Paz, em Quebec, e o sepultamento será amanhã, dia 08 de março, no cemitério da comunidade.
Irmã Marie Gisele Laurette Vachon nasceu no Canadá no dia 19 de fevereiro de 1938, filha de Albert Vachon e de Imelda Binet. Em 1957 entrou para a Congregação das Irmãs de São Paulo de Chartres já com o desejo de ser missionária da área da saúde fora do Canadá. Fez os votos perpétuos em 15 de agosto de 1965, ano em que foi feito um pedido às Congregações que enviassem missionários aos países em desenvolvimento. Nesse período, a Irmã Laurette fez, também, um curso de enfermagem.
Foi enviada para a cidade de Valinhos, em nossa Arquidiocese, chegando no dia 11 de outubro de 1969 com a missão de iniciar o trabalho do Setor de Pediatria da Santa Casa, que ainda estava em construção. Irmã Laurette ficou na Santa Casa de Valinhos até 1987.
Deixou o Hospital com o desejo de desenvolver um trabalho de prevenção à saúde das crianças, evitando o quanto possível as doenças. Foi chamada, então, para iniciar na Arquidiocese de Campinas o trabalho da Pastoral da Criança, que teve início em 1º de maio de 1988.
Tivemos a graça de conhecer a Irmã Laurette com a criação do Setor Imprensa da Arquidiocese de Campinas, em 1993. Mulher amorosa, carinhosa, cativante e muitíssimo determinada em tudo o que fazia. Não media esforços para defender o direito dos pobres e excluídos, principalmente das crianças. Seu trabalho está na história da Igreja como testemunho de uma cristã que doou a vida pelo Reino.
Em abril de 2011, já com o mal de Alzheimer, retornou ao Canadá, para a Casa Provincial de Sainte-Anne-des-Monts, para um acompanhamento mais próximo. Agora nos deixa, mas continua conosco, na luta da Igreja por uma sociedade onde todos possam ter os seus direitos respeitados como filhos de Deus.
Irmã Laurette foi sepultada no Dia Internacional da Mulher, 8 de março. Ela fica como símbolo da força feminina que é o alicerce na construção de nossa sociedade. Em uma entrevista (clique aqui) ela disse: “Desde pequena eu queria ir em Missão, ser enfermeira, cuidar das crianças. Fui privilegiada por Deus porque Ele me deu tudo o que eu queria. Por isso seria mais do que justo que eu tivesse que corresponder. Ele me chamou e eu respondi, com todo o meu ser. E eu sou feliz por isso”.

A Missa pelo 7º Dia do falecimento foi celebrada em 11 de março, na Catedral Nossa Senhora da Conceição.

Aqui você confere matéria no Correio Popular em homenagem à religiosa, em virtude de seu falecimento.

 

 

 

 

 


Pesquisa



Veja Também

Videos