Secretário-Geral da CNBB fala sobre o tema central da 59ª AG CNBB: “Por Uma Igreja Sinodal: Comunhão, Participação e Missão”

Por Sandra | publicado em | Sem categoria

O tema central da 59ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (CNBB) cuja primeira etapa online acontece de 25 a 29 de abril, será “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, o mesmo tema da16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, o Sínodo 2023, convocado pelo Papa Francisco.

A opção pela escolha do mesmo tema do Sínodo 2023, segundo o bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, se deu em razão de buscar um alinhamento e atualização das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE 2019-2023) da Igreja no Brasil à luz dos caminhos da Igreja que serão propostos pelo Sínodo 2023. As DGAE serão renovadas na 60ª assembleia do episcopado brasileiro em 2023.

Além do tema central, os bispos também vão aprofundar, durante a 59ª AG CNBB,  seis temas prioritários, entre eles o relatório anual do Presidente, o informe econômico e assuntos das Comissões Episcopais para a Liturgia, para a Tradução dos Textos Litúrgicos (CETEL) e para a Doutrina da Fé (CEPDF). Outros 30 temas estão na pauta desta etapa virtual da 59ª Assembleia Geral da CNBB. São assuntos de estudo, comunicações, análises de conjuntura e os temas que não exigem votações presenciais do episcopado brasileiro.

De acordo com o secretário-geral da CNBB, os temas são escolhidos a partir de uma escuta às dioceses, depois passam pela aprovação do Conselho Permanente da CNBB. São considerados também temas que com origem e  desdobramentos de assembleias anteriores e que precisam de aprovação e encaminhamentos.

16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos

Em 2023 será realizada a 16ª Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, convocada pelo Papa Francisco com o tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”. O tema da sinodalidade propõe a todo povo de Deus refletir sobre a forma de se compreender como Igreja.

A participação e o caminhar juntos indicam a compartilhada missão evangelizadora que cada batizado deve assumir. O Papa Francisco tem afirmado que o “caminho da sinodalidade é o caminho que Deus espera da Igreja do Terceiro Milênio”.

O sínodo diz respeito aos bispos, no seu serviço de presidir as Igrejas particulares mas implica os demais sujeitos eclesiais, de modo a valorizar a participação de todo o Povo de Deus, numa dinâmica participativa que promove a corresponsabilidade de todos e valoriza os diferentes carismas na Igreja.

O processo do Sínodo 2023 na Igreja no Brasil

Atendendo a um pedido da Secretaria do Sínodo, a CNBB articulou a organização da Equipe Nacional de Animação composta por membros da CNBB, suas comissões (Família, Cultura e Educação e Bíblico-Catequética), regionais (Sul 2, Sul 3 e Sul 4); da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), irmã Teresinha Del’Acqua e o padre João da Silva Filho.

Esta comissão se reuniu, dia 21 de junho do ano passado, para conhecimento e planejamento de atividades de mobilização e animação do processo do Sínodo 2023 no Brasil. Realizou dia, 29 de julho, a primeira live sobre o Sínodo 2023 no Brasil, com 244 pessoas de 208 dioceses brasileiras. A live atingiu a participação de 74.82% das 278 circunscrições religiosas no Brasil. Integrou o grupo de participantes, os representantes de dioceses, secretários executivos dos 19 regionais da CNBB e convidados.

Nos dias 9 e 10 de outubro, em Roma, o Papa Francisco abriu, a primeira fase do processo de escuta do povo de Deus nas dioceses do mundo inteiro. Em comunhão com toda a Igreja, as dioceses do Brasil iniciaram a fase local do Sínodo. A fase de escuta às Igrejas Particulares acontece até junho de 2022 com o processo sinodal envolvendo todas as comunidades, paroquias, movimentos e vida consagrada.

No dia 14 de outubro, a Equipe de Animação do Sínodo 2023 no Brasil promoveu uma segunda live com o tema “Por uma Igreja Sinodal” com foco na organização da etapa de escuta nas Igrejas Particulares, com início em outubro de 2021. Com transmissão ao vivo pelas redes oficiais da CNBB, a live teve o objetivo de formar e capacitar os coordenadores e animadores nas diversas dioceses para conduzirem o processo de escuta sinodal em cada uma das Igrejas Particulares.

A Comissão lançou um hotsite, no site da CNBB, como elemento dinamizador do processo de mobilização do Sínodo, divulgação dos documentos preparatórios como o Vade-mécum da Assembleia sinodal, de notícias e explicações sobre as diferentes fases e etapas.

No início de 2022, a Comissão deu novo fôlego à mobilização das dioceses e Igrejas particulares divulgando notícias do processo de escuta. Foi pensada uma rodada de encontros com as macrorregiões do país, com os coordenadores dos Sínodos nas dioceses, com vistas a partilhar as novidades no processo de escuta nas Igrejas Particulares, animar o processo sinodal e alinhar os procedimentos para a sistematização do relatório diocesano.

Os encontros online foram realizados por blocos regionais, sendo 28/03 – Norte e Noroeste (Norte 1, Norte 2, Norte 3 e NO); 29/03 – Nordeste – (Nordeste 1, Nordeste 2, Nordeste 3, Nordeste 4 e Nordeste 5); 30/03 – Centro Oeste e Oeste 1 e 2; 06/04 – Sul (Sul 1, Sul 2, Sul 3, Sul 4); e 07/04 – Sudeste (Leste 1, Leste 2, Leste 3).

Fonte: Nota e fotos do site da CNBB


Pesquisa



Veja Também