Padre Antônio Isao Yamamoto

Padre Antônio Isao Yamamoto
Assessor da Comissão de Pastoral Nipo Brasileira
Perito do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Campinas
Vigário Paroquial da Paróquia Santo Cura D’Ars (Campinas)


Data de Nascimento: 05/06/1953
Ordenação Diaconal: 05/02/1983
Ordenação Presbiteral: 06/05/1983

+55 19 3276.2216
isaorecanto@yahoo.com.br

Padre Antônio Isao Yamamoto nasceu no dia 05 de junho de 1953, na cidade de Caiabu, SP, Comarca de Martinópolis, filho de Mutsuo Yamamoto e Tomiko Yamamoto. Desde muito cedo, aos seis anos, começou a trabalhar junto com os pais e irmãos na lavoura.

Aos 20 anos de idade deixou a casa dos pais e foi acolhido em uma família cristã. Retomou, então, seus estudos primários, concluindo o 1º e 2º Graus (Supletivo) em 1974. Foi, também, acolhido em uma comunidade onde, por alguns meses, se preparou para o batismo. Trabalhando e estudando, foi comerciário, escriturário e funcionário dos Correios e Telégrafos na Regional 12 – Campinas, no período de 1975 a 1977, quando assumiu o chamado de Deus para o serviço à Igreja.

Fez Filosofia e Teologia na PUC-Campinas, no período de 1977 a 1982. Nas férias do seminário trabalhou como metalúrgico, ajudante de caldeiraria, servente de pedreiro e apontador de campo, partilhando por alguns meses a vivência em alojamento de obras. No ano de 1981, por um mês, ajudou na colheita de laranjas nas fazendas de Conchal, SP, com turmas de bóias-frias. Sobre sua vocação, diz o Padre Isao: “Descobri o Evangelho não na aurora, mas no calor do Sol da manhã, calor que curtiu-me a vida de trabalhador, vida em comunidade rastreando as pegadas da Justiça do Pai e do direito à dignidade de pessoas humanas”.

Foi ordenado Diácono no dia 05 de fevereiro de 1983, por Dom Gilberto Pereira Lopes. A ordenação presbiteral foi três meses depois, no dia 06 de maio de 1983, na Igreja Santo Cura D´Ars, em Campinas.

No período de 1983 a 1987 foi Vigário Cooperador da Paróquia Santo Cura D´Ars e Coordenador da Comissão Arquidiocesana da Pastoral Operária; foi, também, 1º Secretário Nacional da Pastoral Nipo Brasileira de 1986 a 1987.

Cursou língua japonesa em Tóquio, Japão, na Escola Franciscana de Línguas, de 1987 a 1989, auxiliando, nesse período, várias Paróquias. Valtando ao Brasil, foi nomeado pároco responsável pelas CEBs dos DICs I a VI; Assistente da Comissão de CEBs de 1989 a 1992; Vigário Paroquial da Paróquia São Geraldo Magela, de 1989 a 1992; e novamente 1º Secretário Nacional da Pastoral Nipo Brasileira, de 1990 a 1992. Cursou Estudos de Parapsicologia pelo Centro Latino Americano de Parapsicologia e fez, ainda, o Curso de Comunicação pelo COMEP, das Irmãs Paulinas.

Em agosto de 1992 foi para o Japão, como missionário, para atender os brasileiros que lá estavam trabalhando. Ficou dois anos e meio na Diocese de Nagóia, trabalhando em uma fábrica e, depois, como jornalista, para o seu sustento. À noite atendia às inúmeras pessoas que o procuravam com os mais variados problemas. Depois foi para Osaka, onde se dedicou inteiramente à Pastoral, atendendo também aos japoneses. Nos finais de semana celebrava a Eucaristia com o povo e dava atendimento sacramental. Durante a semana acompanhava os brasileiros nas consultas médicas, no ministério do trabalho, visitava as famílias e as prisões.

Voltou ao Brasil e no dia 18 de maio de 1999 foi nomeado Pároco da Paróquia Sagrada Família, em Campinas, onde permaneceu até o dia 26 de junho de 2008. Residiu, nesse período, na Casa do Padre, onde foi Coordenador e Administrador da Casa no período de dezembro de 2000 a novembro de 2004.

Construiu em Valinhos o Recanto Santa Maria, uma Casa de Retiros para a prática da meditação Zen a serviço das Comunidades da Arquidiocese. Solicitou, em 2008, licença a Dom Bruno Gamberini para o período de um Ano Sabático, que lhe foi concedida.

Terminado o Ano Sabático, foi nomeado, no dia 1º de agosto de 2009, Vigário Paroquial da Paróquia São Sebastião, em Valinhos, e em 10 de junho de 2010 como Perito do Tribunal Eclesiático Interdiocesano de Campinas.